CNA DISCUTE CONSTRUÇÃO DE ARMAZÉNS E MELHORIAS EM RODOVIAS PARA ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO


 
       A construção de armazéns para aumentar a capacidade de estocagem de grãos no Porto de Itaqui, em São Luís (MA), o andamento das obras das rodovias BR 158 e BR 163 que levarão a soja produzida no Mato Grosso aos portos das regiões Norte e Nordeste e o panorama do setor de armazenagem no Brasil foram discutidos pela Câmara Temática de Infraestrutura e Logística (CTLOG) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), sob a presidência de José Ramos Torres de Melo Filho, vice-presidente diretor da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).
      O anúncio da publicação do edital que definiu as regras para selecionar as empresas que construirão quatro armazéns de grãos no Porto de Itaqui (MA) foi comemorado pelos integrantes da CTLOG. É que a capacidade atual de exportação do Porto de Itaqui é a mesma de 19 anos atrás. “De 1992 para cá, esta é a primeira notícia de uma obra grande vulto no porto. Os novos terminais de armazenagem proporcionarão o aumento da capacidade de exportação do porto em 10 milhões de toneladas”, explicou Torres de Melo, que também é responsável pela área de Infraestrutura e Logística da CNA. Segundo Ellen Cassas Travassos, funcionária da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), os novos terminais terão capacidade para armazenar até 125 milhões de toneladas de grãos.
       O representante da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), Edeon Vaz Ferreira, mostrou o andamento das obras das rodovias BR 158 e BR 163. Segundo ele, a conclusão das obras nessas estradas facilitará o escoamento da produção agrícola da Região Centro-Oeste para os portos das Regiões Norte e Nordeste. “A precariedade dessas rodovias faz com que os produtores paguem US$ 130 por tonelada transportada até os portos de Santos (SP) e de Paranaguá (PR)”, afirmou o representante da Aprosoja. Além de baratear o transporte, o escoamento da produção pelos corredores do Arco Norte, que desembocam nos portos de Belém (PA), Santarém (PA), Miritituba (PA), São Luís (MA) e Porto Velho (RO), ajudará a desafogar os portos das regiões Sul e Sudeste do país.
      O consultor para assuntos de Logística e Infraestrutura da CNA, Luiz Antonio Fayet, destacou a importância da conclusão das obras na BR 158 e BR 163. Segundo ele, nos últimos dez anos a “geografia da produção agrícola brasileira saiu das regiões produtoras tradicionais do sul do País e subiu para os Estados das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, locais desprovidos de infraestrutura para o escoamento da produção”.
       O representante da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Milton Libardoni, falou sobre o atual panorama da armazenagem no Brasil. Segundo Libardoni, o País possui 17.625 armazéns, que conseguem armazenar quase 140 milhões de toneladas, sendo que 75% são da iniciativa privada e 20% de cooperativas. A região Sul é a que mais possui armazéns (9.054), seguida pelas regiões Centro-Oeste (3.958), Sudeste (2.908), Nordeste (1.254) e Norte (451). Do total de armazéns no Brasil, somente 352 são da Conab.


FONTE: CNA