ANO COMEÇA COM ALTA DE 32% NA EXPORTAÇÃO


Ano começou com evolução no comércio exterior e Mato Grosso registrou salto de 36% na balança comercial, com US$ 522,318 milhões de saldo, ante US$ 382,227 milhões em janeiro de 2011. Exportações somaram US$ 642,020 milhões no primeiro mês, alta de 32% frente aos embarques do ano anterior. Importações também registraram avanço, com 19% de crescimento, totalizando US$ 119,702 milhões.
Bom desempenho comprova o argumento de economistas, produtores e empresários de que a produção mato-grossense continua tendo demanda aquecida, mesmo em cenários incertos como o atual nas economias europeia e norte-americana. Economista especializado em exportações, Vitor Galesso, reitera que o Estado deve continuar a investir na produção de alimentos, tanto na agricultura quanto no beneficiamento da produção.
De acordo com os estudos do professor de economia, para 2012 é previsto um incremento entre 5% e 12% nas exportações locais, puxadas pelos grãos, óleos e carnes. Para Galesso, é hora de continuar investindo na verticalização da produção para aumentar as vendas de produtos com valor agregado. “Como percebemos, é crescente a venda de carnes, óleo de soja e algodão, mercadorias que recebem beneficiamento dentro do Estado e são comercializadas com melhores preços”.
Algodão foi a commodity que apresentou maior evolução entre os produtos exportados, com alta de 212% entre janeiro de 2011 e 2012, fechando o mês passado com US$ 50,055 milhões. Presidente da Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão (Ampa), Carlos Ernesto Augustin, explica que este incremento não se trata especificamente de aumento nas vendas, mas também de um atraso no embarques.
Como ele explica, por razões climáticas a colheita do algodão ultrapassou o mês de agosto, quando geralmente se encerra. Após a retirada do campo, o produto ainda passa por beneficiamento e os embarques que estavam previstos para setembro e outubro foram postergados. “Houve atraso na colheita e consequentemente nas vendas. Por isso este número acima do esperado para o primeiro mês”.
Soja também se destacou em janeiro com acréscimo de 84% contabilizando farelo, grãos e óleo, somando US$ 317,515 milhões em comparação com US$ 172,001 milhões no mesmo mês do ano anterior. Óleo, que possui maior valor agregado, teve 19% de alta e somou US$ 30,394 milhões. O milho, em contrapartida, teve o comércio reduzido em 26% e em janeiro vendeu o equivalente a US$ 131,159 milhões incluindo grãos, exceto para semeadura.
Carne bovina permanece em processo de expansão no comércio internacional. Foram US$ 57,451 milhões, 8,4% a mais do que o registro de janeiro de 2011, com US$ 52,985 milhões. Superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari revela que demanda por carne é constante e crescente, principalmente com o aumento na renda. Porém, ele ressalta a importância de manter as buscas por novos mercados, principalmente devido à instabilidade no Oriente Médio e crise na Europa, os mais representativos compradores.

FONTE: Gazeta Digital