PORTARIAS ORIENTAM PLANTIO DE GIRASSOL, MILHO E SORGO NO PAÍS


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou no Diário Oficial da União (DOU), o zoneamento agrícola de risco climático para as culturas de girassol, em sete estados; milho em 17 regiões e sorgo em outras sete unidades federativas. O estudo vale para a safra 2012/2013.
O girassol desenvolve-se melhor em ambientes de clima temperado, subtropical e tropical, sendo pouco influenciado pelas variações de latitude e altidude. Temperaturas baixas aumentam o ciclo da cultura atrasando a floração e a maturação, aliada a alta umidade pode favorecer a ocorrência de doenças fúngicas. O girassol caracteriza-se por apresentar uma boa tolerância ao estresse hídrico. Deficiência hídrica no período entre o início da formação do capitulo ao começo do florescimento afeta o rendimento de grãos. No período de formação e enchimento de aquênios deficiência hídrica afeta mais o ter de óleo.
No cultivo do milho, por exemplo, o produtor deve estar atento especialmente à fase de formação do pendão e enchimento do grão, que necessita de grande quantidade de água. Portanto, é um período em que qualquer adversidade climática pode impactar na produção.
O sorgo, por sua vez, é uma planta de origem tropical, de dias curtos e com altas taxas fotossintéticas, exigindo, por isso, um clima quente para poder expressar seu potencial de produção. A temperatura do ar ótima para o desenvolvimento da cultura varia com a cultivar. A grande maioria dos materiais genéticos de sorgo requer temperaturas superiores a 21°C para um bom crescimento e desenvolvimento, não suportando, normalmente, temperaturas abaixo de 16°C, sendo que temperaturas superiores a 38°C também reduzem a produtividade. Apesar de resistente à seca, a ocorrência de déficits hídricos, principalmente na fase de florescimento e de enchimento de grãos, podem provocar redução acentuada na produção.
Com a divulgação do zoneamento agrícola, o Ministério da Agricultura quer  identificar os municípios aptos e os períodos de semeadura com menor risco climático para o cultivo das culturas nos estados brasileiros, destacou o coordenador geral de Zoneamento do Mapa, Gustavo Bracale.

FONTE: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento