COTAÇÃO DA SOJA PARA VENDA FUTURA É RECORDE


O plantio da soja ainda transcorre e os preços da saca de 60 quilos na venda futura já atingiram cotação antes registrada somente no fim da colheita. Na última semana o valor alcançou o patamar de R$ 54, valor este registrado em Primavera do Leste. Segundo o setor produtivo, cotações como esta em plena metade de plantio jamais foram registradas em MT na moeda brasileira. Alta deve-se ao desequilíbrio dos estoques mundiais do grão causado pelas quebras de safra 2011/2012 na Argentina e Sul do Brasil e safra 2012/2013 nos Estados Unidos. Via bolsa de valores o bushel para contratos com vencimento em março de 2013, ontem, era cotado pela manhã em US$ 14,93, valor 24,8% superior aos US$ 11,96 encontrados no mercado futuro para março de 2012 logo no início de novembro de 2011. As vendas, que já atingiram 63,1% em 15 de outubro, não devem avançar muito.
Conforme o boletim da soja do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), entre 29 de outubro e 1º de novembro a saca da soja em Primavera do Leste valorizou-se em R$ 1,53, chegando a R$ 54. Em Sapezal, segundo o balanço semanal, o salto em quatro dias foi de R$ 1,33/saca chegando a R$ 51,50. O levantamento mostra ainda que a média de elevação de preço em Mato Grosso ficou em R$ 0,50. A menor variação foi em Nova Mutum de apenas R$ 0,45 chegando a saca a ser cotada em R$ 51 na quinta-feira (1º). Em Canarana a saca futura ficou em R$ 51. “O típico cenário de oscilação deve se manter até uma definição da safra estadual”, diz o boletim do Imea. A cotação atual do grão em Rondonópolis estava em R$ 71 no dia 5, valor 65,11% maior que os R$ 43 em 4 de novembro de 2011.
Segundo o diretor executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Marcelo Duarte, a comercialização da soja safra 2012/2013 está mais avançada que na safra 2011/2012, quando no período de 15 de outubro só 52,5% haviam sido vendidas, devido às quebras de safras ocorridas nos Estados Unidos, Argentina e no Sul do Brasil. “Nunca vimos em pleno plantio tais valores no contrato futuro em reais em Mato Grosso. As vendas estão adiantadas porque quando o produtor começou a vender, a saca estava em R$ 40, e ao ver que o valor estava subindo, aproveitou para vender mais”.

FONTE: Folha do Estado