EMATER ASSINA CONVÊNIO PARA CRIAÇÃO DE 135 UNIDADES DE PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA NO RIO GRANDE DO SUL


            A Emater/RS-Ascar assinou na segunda, dia 17, um termo de cooperação para a implantação de unidades de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), e as fundações Banco do Brasil (FBB) e de Educação para o Associativismo (FEA). Pelo acordo, serão criadas 135 unidades em propriedade rurais localizadas nas regiões mais pobres do Estado.
            O valor total do projeto é de R$ 1,25 milhão, com apoio financeiro da FBB. A Emater/RS-Ascar prestará assistência técnica na implantação do programa e a SDR definirá os locais e as famílias beneficiadas, além da coordenação do Pais. À FEA caberá o repasse da tecnologia do programa, por meio de capacitação de técnicos e produtores.
            Para o presidente da Emater/RS, Lino De David, essa parceria permite o desenvolvimento de uma tecnologia social que faz a inclusão social das famílias para que, assim, possam efetivamente produzir e colocar o seu produto no mercado, seja no tradicional ou nas políticas de comercialização.
            O projeto de produção desenvolve uma proposta tecnológica baseada nos princípios da agroecologia e trabalha os aspectos da organização, da comercialização da produção de alimentos, em um primeiro momento para subsistência, e, em uma segunda etapa, para a comercialização, integrando as diferentes políticas públicas existentes.
            – É uma experiência tecnológica, mas também metodologicamente inovadora para trabalhar os princípios agroecológicos de produção, especialmente de hortigranjeiros. Ele é integrado do ponto de vista do sistema de produção – avaliou o diretor técnico da Emater/RS, Gervásio Paulus.

Sistema Pais

            O sistema de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) é uma tecnologia idealizada, em 1999, pelo engenheiro agrônomo senegalês Aly Ndiaye, e adotada por aproximadamente sete mil famílias de pequenos agricultores de 19 Estados brasileiros. O projeto tem como objetivo principal a segurança alimentar, buscando o desenvolvimento sustentável.
            Em uma pequena área, o agricultor pode diversificar a produção integrando horta, pomar e avicultura, tendo como resultado a sustentabilidade econômica e ecológica da propriedade. No sistema, são adotadas técnicas específicas de otimização de recursos naturais e socioeconômicos, respeitando a integridade cultural das comunidades rurais. O sistema proporciona à família condições de produzir seu sustento e independência de insumos externos à propriedade.


FONTE: Rural BR/ Governo do RS