MODELO CONSEGUE ESTIMAR FRETE DE FERTILIZANTES


            A Escola Politécnica (Poli) da USP desenvolveu um modelo que estima os preços dos fertilizantes a partir do valor de seus fretes. O preço dos produtos foi calculado desde o momento em que eles chegam nos portos brasileiros. Para o estudo, a engenheira de transportes Renata Marconato analisou os produtos dos portos de Paranaguá, no Paraná, Santos, no litoral de São Paulo, e do Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul.
            – Com esse modelo o produtor pode ver de onde é mais vantajoso importar seu fertilizante, pois o valor do frete influencia seu valor final – diz ela.
            A pesquisadora explica que cada porto tem sua zona de influência, então para cada um deles foi desenvolvido um modelo específico. A dissertação de mestrado foi apresentada no mês de novembro e orientada pelo professor José Alberto Quintanilha.
            A estimativa dos preços dos fretes foi feita a partir de três modelos diferentes: análise de regressão, interpolação e geoestatística. Os preços de fretes utilizados para gerar os modelos referiam-se aos anos de 2008, 2009 e 2010, nos três portos.
            Comparando valores reais com os valores encontrados nas três experiências, constatou-se que o modelo mais eficiente foi aquele gerado pelo interpolador. Foi ele, então, utilizado para gerar os modelos de fretes, estudar as áreas de influência dos portos e simular mudanças nestas configurações.

FONTE: Agência USP