RONDÔNIA SE TRANSFORMA EM NOVA FRONTEIRA AGRÍCOLA


A produção de soja na safra 2011/2012, produziu 462.601 toneladas de grãos em 143.674 hectares de lavouras cultivadas com uma produtividade média de 3.220 quilos por hectare, gerando uma receita de R$ 347 milhões. O prognóstico para a colheita 2013 levantada pelo IBGE, em todos os municípios revela uma safra com 158 mil 265 hectares de lavouras apresentando um crescimento de 10,2 % em relação à safra anterior com uma receita em torno de R$ 382 milhões.
            Com uma produção de soja semelhante aos municípios do Norte de Mato Grosso, com destaque para o Cone-Sul do Estado, Rondônia se transformou e vem se destacando como a mais nova fronteira agrícola do País, conforme avalia o secretário de Agricultura Pecuária e Regularização Fundiária, Evandro Padovani. Com clima propicio para agricultura, solos férteis, localizado em posição estratégica, adotando tecnologias adequadas o Estado caminha a passos largos para se transformar em novo celeiro na produção de alimentos.
            Nesta visão futurista, cabe lembrar que de acordo com um estudo da Embrapa, no Estado de Rondônia repousam ao longo da Br 364 mais 6,5 milhões de hectares terras propicias para a produção de soja e milho. São áreas que bastam receber pequenas correções de solo e estão prontas para serem incorporadas ao sistema produtivo sem que sejam necessários novos desmatamentos.

Carros chefes

Tendo a soja, o rebanho bovino, o milho, a produção de leite, uma agricultura familiar fortalecida, e criação de pequenos animais, “será possível estabelecer um novo patamar para o desenvolvimento com maiores resultados na economia primária”, sustenta Evandro Padovani. Acrescenta o secretário de Agricultura Pecuária e Regularização Fundiária, “o governador Confúcio Moura, confia na estabilidade e no equilíbrio da economia com a produção de matérias primas, apoiando os pequenos, médios e grandes produtores rurais para geração de empregos e rendas”.
            Evandro Padovani reconhece que para manter a produção agrícola em nível acentuado é necessária a participação dos governos estadual, federal e municipais, garantindo infra-estrutura, tais como rodovias e estradas vicinais, calcário, e uma política de assistência técnica mais presente com tecnologia, regularização fundiária, consciência ambiental e preocupação com a preservação de rios, córregos e mananciais.
            Segundo o secretário, o objetivo é trabalhar para buscar linhas de crédito mais acessíveis, facilitar e diversificar buscando sempre o aumento da produção de maneira verticalizada com a correção de solo de maneira sustentável. No seu ponto de vista, o fortalecimento do cooperativismo com assistência técnica moderna e eficaz, é muito importante no processo produtivo no Estado.

Parcerias

Firmar convênios com a Emater e Embrapa para fortalecer os produtores de hortifrutigranjeiro com áreas irrigadas para beneficiar as nossas agroindústrias que já são uma realidade visando transformar o Estado num pólo de exportação para os países Andinos, é uma das metas do secretário Evandro Padovani. Ele acredita que o aumento da produção, no campo trará industrialização e por via de consequência o sistema de transporte será modernizado com ampliação do Porto na capital.
            Fortalecer as ações no interior de Rondônia, integrando as regiões e suas forças econômicas e representativas, bem como ampliando a articulação da Seagri com as Federações (Fetagro e Faperon), com a OCB, Fiero, Fecomércio, Cooperativas agrícolas e de crédito e Associações rurais. “O setor rural sabe que pode contar com o Governo da Cooperação, pois, nosso trabalho reflete a linha de competitividade apostando na agricultura familiar e empresarial,” finalizou Evandro Padovani

FONTE: Em Rondônia