MADEIRA NOBRE: CEDRO AUSTRALIANO É UM BOM NEGÓCIO?



Jaqueline Naujorks

Se você se interessou e a primeira coisa que pretende fazer é procurar informações na internet, já pode parar por aí. A pesquisa evoluiu muito e os resultados, também. No sul de Minas Gerais já se pode ver isso de perto. Em 2002 houve uma grande demanda de madeira nobre para cerrado e então, pensando nisso, uma família de produtores rurais de Campo Belo foi até a costa leste da Austrália buscar material de cedro australiano para ser melhorado no Brasil.
De lá para cá foi feito um grande trabalho de pesquisa e melhoramento genético calculando solo, nutrição, clima, e claro, manejo e conservação: "Hoje, com o sistema de cultivares (ou 'clonal') é possível se obter uma floresta homogênea e resistente a pragas como o psilídeo branco e os fungos de inverno" ressalta o biólogo da Bela Vista Florestal, Eduardo Stehling
Na propriedade é possível ver o resultado dessa pesquisa, os talhões são uma espécie de "vitrine" contendo árvores de determinados clones com idade, tamanho e diâmetro diferente do outro contendo árvores de sementes - e a comparação é clara.
O diretor da Bela Vista Florestal diz que o produtor rural deve ir conhecer a produção esquecendo tudo o que conhece sobre cedro: "O produtor normalmente vem até aqui procurando informações. Desde o solo até a disposição de quem vai produzir, existe um 'pacote tecnológico' que, se não for observado, o negócio não vai dar certo e isto não é responsabilidade da cultura" e enfatiza "Não é possível errar fazendo certo."

FONTE: Painel Florestal