GUIA DA EMBRAPA AVALIA MELHORES ÁRVORES PARA PASTAGEM


A arborização de pastagens é uma alternativa para diversificar a renda do produtor rural, oferecer mais conforto ao animal, melhorar a fertilidade do solo e aumentar a produtividade do rebanho. Para ajudar na escolha das espécies, a Embrapa lançou o Guia Arbopasto: manual de identificação e seleção de espécies arbóreas para sistemas silvipastoris.
O guia descreve 51 espécies diferentes que ocorrem naturalmente em pastagens e traz duas modalidades de classificação: as que possuem melhores características para fornecimento de serviços, tais como qualidade da sombra, dos frutos, de fornecimento de nitrogênio e as melhores árvores para produção de madeira. No total, foram avaliadas 15 características de cada espécie.
– Trata-se de um manual para ajudar o produtor rural a fazer arborização de pastagens, tanto para escolher espécies a serem plantadas, quanto para manter as espécies que já ocorrem no pasto – afirma o pesquisador da Embrapa Acre, Carlos Maurício de Andrade, um dos editores técnicos do Guia.
Foram catalogadas árvores de pastagens no Acre e de Rondônia, mas a maioria das espécies ocorre, também, nos outros biomas brasileiros.
– Das espécies avaliadas, 100% estão presentes na região Norte, 76% no centro oeste, 53% no nordeste, 31% no sudeste e 20% no sul do Brasil, ou seja, é um guia de abrangência nacional e internacional, porque temos paisagens parecidas nos países que fazem fronteira com o Brasil, como Peru, Bolívia, Colômbia e Equador – declara Andrade.
Para a pesquisadora da Embrapa Rondônia, Ana Karina Salman, também editora técnica, o Guia Arbopasto pode ser considerado um marco para as pessoas que trabalham com sistemas silvipastoris e agroflorestais.
– Não somente pelas informações sobre as espécies, mas principalmente pela metodologia inovadora que foi utilizada para avaliar e selecionar as árvores. O principal diferencial dessa publicação é a metodologia que nós desenvolvemos – destaca.
O primeiro capítulo trata sobre a situação atual e as perspectivas para arborização de pastagens na América Latina; o segundo sobre conceitos, benefícios e métodos de implantação de sistemas silvipastoris; o terceiro sobre o método utilizado para classificar as espécies listadas e o último é o guia de espécies.

Sistemas integrados de produção

Os sistemas silvipastoris integram árvores e pastagens para criação de animais e conferem maior sustentabilidade à atividade produtiva. Para o pesquisador da Embrapa Acre, Tadário Kamel, um dos autores do livro, o Guia Arbopasto pode ser um importante aliado para implantação desses sistemas.
– Estudos já comprovaram os benefícios do uso dessas espécies listadas no Guia, tanto em sistemas de regeneração espontânea, como em sistemas em que as árvores são plantadas – afirma.

Melhores espécies

A espécie que apresenta as melhores características para fornecimento de serviços foi o bordão-de-velho (Samanea tubulosa), árvore nativa, que ocorre principalmente na Amazônia e no Cerrado.
– Em geral, as leguminosas, como é caso do bordão-de-velho, apresentam características interessantes devido a sua capacidade de fixar nitrogênio e arquitetura da copa, que permite passagem de luz solar adequada para o crescimento das gramíneas, dentre outros fatores – afirma Andrade.
Para a produção de madeira, o parapará (Jacaranda copaia) se destacou das demais espécies. Árvore nativa que ocorre na região norte, nordeste e centro-oeste, essa espécie cresce rápido e a madeira tem um bom valor de mercado.


FONTE: Embrapa