MAIS DA METADE DAS MORTES POR RAIOS ACONTECEM NO CAMPO

O Brasil é o país com a maior incidência de raios no mundo, chegando a 50 milhões por ano. Isso acontece, porque o território nacional é o maior dentro da zona tropical do planeta. A região é naturalmente mais quente e por isso favorável à formação de tempestades. Segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), um quarto das mortes por raios ocorreram na zona rural, na atividade agropecuária. No total, entre 2000 e 2013, 1.672 pessoas perderam a vida no país, 61% no campo.
O coordenador do Elat, Osmar Pinto Junior, diz que a tendência nas próximas décadas é de maior incidência de raios em áreas rurais.
– A queda de raios tem sido diferente a cada ano. Um dos motivos é o aquecimento do planeta na zona tropical. No Brasil, ainda é pequeno, cerca de 0,5°C, não houve aquecimento acentuado, como no hemisfério norte. Então, isso faz com que o efeito seja pequeno e imperceptível diante de variações anuais bruscas. A tendência para zona rural é que nas próximas décadas o Brasil tenha mais presença de raios – explica.
Para 2015, o ELAT prevê aumento na incidência de raios nas regiões Nordeste, Norte e Sul do país. Na região Sul, a elevação no número de descargas deverá ocorrer especialmente no final do verão.
– As primeiras semanas de 2015 apresentaram mais raios, mas isso, porque o verão de 2014 não teve tanta chuva e apresentou um nível baixo de casos. Então, na realidade, o ano está começando dentro da normalidade. A previsão é de que em 2015, as regiões Centro-Oeste e Sudeste se mantenham regulares. Já as regiões Norte, Nordeste e Sul devem apresentar maior incidência do fenômeno, basicamente pelo comportamento dos oceanos Atlântico e Pacífico, que estão com uma configuração que favorece a formação de tempestades – explica.

Danos na Pecuária

O Inpe estima que até duas mil cabeças de gado tenham sido mortas por raios, anualmente, no país. Exemplos de casos ocorridos em 2013 servem de alerta: em Tunápolis, em Santa Catarina, produtores perderam até R$ 60 mil com a morte de 36 animais; e um fazendeiro de São José dos Campos, em São Paulo, registrou baixa de R$ 20 mil depois de perder 23 bovinos.
– Quando ocorre chuva muito forte, o gado costuma se agrupar em baixo de árvores, ou seja, é alvo fácil para os raios. O ideal seria manter os animais em uma área sem árvores com proteção de cerca de madeira, ou em um local com para-raios, o que também não é comum em fazendas – diz o pecuarista Benedito Vieira Pereira.

Mapa dos raios no Brasil:


Consequência dos raios em humanos

A corrente elétrica do raio pode causar sérias queimaduras e outros danos ao coração, pulmões, sistema nervoso central e outras partes do corpo, através de aquecimento e uma variedade de reações eletroquímicas. A extensão dos danos depende da intensidade da corrente, as partes do corpo afetadas, as condições físicas da vítima e as condições específicas do incidente.
Cerca de 20% a 30% das vítimas de raios morrem, a maioria delas por parada cardíaca e respiratória; e cerca de 70% dos sobreviventes sofrem por um longo tempo de sérias sequelas psicológicas e orgânicas. As mais comuns são a diminuição ou perda de memória, menor capacidade de concentração e distúrbios do sono.

Como se proteger

Evite estar na rua durante tempestades. Se estiver dentro de casa, evite também usar telefone, a não ser que seja sem fio; não fique próximo a tomadas e canos, janelas e portas metálicas; não toque em qualquer equipamento ligado à rede elétrica. Se estiver na rua, não segure objetos metálicos longos, tais como varas de pesca, tripés e tacos de golfe. Não nade e nem fique em grupos.
Procure abrigo em veículos como carros e ônibus; moradias ou prédios, de preferência que possuam proteção contra raios; abrigos subterrâneos, tais como metrôs ou túneis; grandes construções com estruturas metálicas; barcos ou navios metálicos fechados. Evite os seguintes lugares, que oferecem pouca ou nenhuma proteção contra raios: pequenas construções não protegidas, como celeiros, tendas ou barracos; veículos sem capota, como tratores, motocicletas ou bicicletas; estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica.
Se possível, evite também certos locais que são extremamente perigosos durante uma tempestade, como topos de morros ou cordilheiras; topos de prédios; áreas abertas, como campos de futebol ou golfe; estacionamentos abertos e quadras de tênis; proximidades de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas, trilhos e árvores isoladas; estruturas altas, como torres, linhas telefônicas e linhas de energia elétrica.


FONTE: Canal Rural