PROJETO PROPÕE SELO PARA AGRICULTURA FAMILIAR DO MERCOSUL


O primeiro passo para a criação de um selo que identifique o agricultor familiar do Mercosul está sendo dado no Rio Grande do Sul. O encaminhamento e a formalização de uma proposta para reconhecimento mútuo dos registros nacionais da agricultura familiar nos países que compõem o bloco é um dos temas debatidos na Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), que termina nesta quinta, dia 15, em Caxias do Sul.
Depois dessa fase de elaboração, o documento deve seguir para o Grupo Mercado Comum, instância superior à Reaf, que avaliará a proposta. Se a medida passar a valer, será possível a realização de iniciativas comuns de políticas agrícolas entre os países, explica o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, que participou ontem da abertura da Reaf.
– Assim como nós já temos no país o selo de identificação, é possível a criação de um para o Mercosul. Seria interessante como estratégia de busca de mercado para a agricultura familiar ocupar mais espaço – avalia Pepe.
O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, também presente no evento, destaca que o reconhecimento mútuo será importante ainda para identificar os produtores.
– Por meio dos registros, faremos uma fotografia do setor. Assim, o governo poderá ter uma aproximação maior com o agricultor familiar, pois saberá onde ele está – acredita.
Patriota lembrou ainda que boa parte dos pequenos produtores tem pouca renda mensal. Em função disso, ressalta que são indispensáveis políticas públicas de apoio ao setor.

A 18ª edição da Reaf ocorre pela primeira vez fora de uma capital.

– Caxias é referência no assunto, já que quase 100% da agricultura da cidade é considerada familiar – destaca Pepe. Além dos dois ministros brasileiros, o evento contou com a presença de autoridades dos governos que compõem o Mercosul e de países especialmente convidados, como Equador e Cuba.

FONTE: Pioneiro