GOVERNO DO PARANÁ ESTUDA IMPLANTAR PROGRAMA AGROECOLÓGICO


O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, recebeu nessa última semana uma minuta de trabalho para a instituição oficial do Programa Paraná Agroecológico. O programa prevê a cooperação com municípios, organizações da sociedade civil e instituições públicas e privadas para ampliar e dinamizar as ações já existentes no Estado, voltadas às políticas públicas para a agricultura familiar, com o desenvolvimento da produção em bases agroecológicas.
A minuta foi apresentada pelo grupo interinstitucional indicado pela Câmara Setorial de Agroecologia e Agricultura Orgânica, vinculada ao Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Cedraf), conselho composto por 33 entidades representantes dos governos federal, estadual e municipais, e entidades da sociedade civil.
Segundo Norberto Ortigara, o Paraná já se destaca nacionalmente neste segmento da agricultura, mas disse que o Estado pode promover e apoiar novas ações integradas para a ampliação de sistema de produção e a comercialização de alimentos orgânicos no Estado.
– As várias feiras específicas do setor, assim como a inclusão de alimentos orgânicos na merenda escolar, são bons exemplos que já estão em prática – afirmou.
Para o engenheiro agrônomo Márcio Miranda, diretor-adjunto do Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), a implantação deste programa, após avaliação técnica e jurídica pela Secretaria, e depois de encaminhada ao governo do Estado, dará um novo impulso ao setor.
– Além de ajudarmos a gerar mais renda no campo, estaremos também auxiliando na conservação ambiental, na promoção da qualidade de vida, e a garantir de segurança alimentar e nutricional – disse Márcio Miranda.
São beneficiários do Paraná Agroecológico agricultores familiares e suas organizações, técnicos e extensionistas rurais, pesquisadores, professores, estudantes e organizações do setor público e da sociedade civil organizada, consumidores e suas entidades. As ações propostas no Programa Paraná Agroecológico estão dispostas em cinco eixos: assistência técnica e extensão rural, comercialização, legislação, pesquisa e produção. Dentre elas foi destacada no encontro a promoção de cursos de incentivo às práticas agroecológicas, com os agricultores tendo ainda a participação de escolas agrícolas, universidades e instituições da sociedade civil.
– É uma das formas que podemos fomentar esse processo no Estado. A coordenação dessas atividades ficará a encargo do governo estadual com as suas respectivas entidades, mas também é necessário que estejam envolvidos o governo federal e os municípios, para que possamos ter a garantia de projetos consistentes com começo, meio e fim – disse Norberto Ortigara.
Outra alternativa discutida com o secretário pelo grupo, que teve também a participação de representantes da Secretarias de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, é fomentar cursos e dias de campo junto às comunidades de agricultores para mostrar os benefícios da preservação dos recursos naturais, redução da aplicação e consumo de agrotóxicos na produção agropecuária.

FONTE: Governo do Estado do Paraná